sexta-feira, 25 de julho de 2014

Dia dos Avós

Hoje comemoramos o Dia dos Avós com um delicioso café da manhã na nossa escola!

A turminha da Creche foi entrevistada pela tia Bianca a respeito do que mais gostam na casa das suas vovós!

Assistam o vídeo para conferir as respostas!

Embora as crianças falem apenas das vovós, dedicamos todo o nosso carinho aos queridos avôs!

Espero que curtam.


Deixe seu comentário aqui mesmo.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Feira de Ciências

     Nosso 4º bimestre teve como culminância uma linda Feira de Ciências. Os alunos puderam vivenciar diversas experiências enriquecedoras. Nossos pequenos cientistas amaram participar da Feira e a participação dos pais, como sempre,  foi fundamental para o sucesso do evento.

                 Turminha da CRECHE



ELETRICIDADE ESTÁTICA

MATERIAL:
·     Uma bexiga
·     Uma blusa de lã

COMO FAZER:
1 – Encha a bexiga e dê um nó no bico.
2 – Esfregue a bexiga no cachecol.

O QUE ACONTECE:
A bexiga gruda em todos os lugares: na parede, no cabelo, no rosto.

POR QUE ACONTECE:
Essa esfregação toda cria uma carga de eletricidade na bexiga, a eletricidade estática. Ela faz com que a bexiga grude em todos os lugares.
  



FLUTUA OU AFUNDA


Material:

- Recipiente grande cheio de água (bacia ou balde);
- Frutas como: maçã, laranja, etc;
- Objetos com diferentes tamanhos e pesos: borracha, lápis, pedaços grandes de isopor, clips metálicos, entre outros;
- Alimentos: ovos em casca, feijão cru.



MODO DE FAZER:

Encha o balde, jogue nele um objeto por vez e observe qual deles irá flutuar e qual irá afundar.

A densidade determina a quantidade de matéria que está presente em uma unidade de volume. Seu estudo se faz importante porque nos auxilia na caracterização de uma substância.








EXPLOSÃO DE CORES

MATERIAL:
  • Leite
  • Corante
  • Prato fundo ou bacia
  • Detergente

MODO DE FAZER:
     Coloque o leite no prato fundo.
      Pingue várias gotas de corantes para misturá-los.
      Pingue uma gota de detergente sobre uma das cores.


Quando colocamos o corante na superfície do leite,eles não se misturaram; cada corante formou uma mancha separada da outra. 
No momento que colocamos um pouquinho de detergente dentro das manchas, elas parecem explodir! 
Isso que vimos aqui foi um exemplo de como a tensão superficial age num líquido e como ela pode ser rompida pelo detergente.
A tensão superficial acontece porque as moléculas de leite na superfície sofrem uma grande atração entre elas. No interior do líquido, todas as moléculas do leite sofrem essas mesmas forças de atração, mas em todas as direções. As moléculas de leite na superfície sofrem a atração apenas das moléculas na horizontal e das outras que estão abaixo, já que em cima tem apenas AR.  

Como o número de moléculas se atraindo é menor, existe uma "compensação",  uma força maior de atração acontece na superfície, formando quase uma "pele" acima do leite. É a chamada TENSÃO SUPERFICIAL. O detergente consegue ROMPER a tensão superficial e as cores explodem! E depois se misturam formando padrões de cores incríveis.





            

                                
EI 20



FAÇA UM VULCÃO

Material:
·      1 copo
·      Massa de modelar
·      3 colheres de café de bicarbonato de sódio
·      Meio copo de vinagre
·      1 colher de café de anilina
·      1 xícara de café de detergente
·      Meio de copo de água
·      1 jarra

Modo de fazer:

1 - Modele o vulcão em volta do copo com a massinha.
2 – Coloque o bicarbonato dentro do vulcão.
3 – Na jarra, misture o vinagre, o detergente, a anilina e a água. Depois despeje a mistura no vulcão.








Que tal analisar a tinta de uma caneta?!?!!

·      Recorte um retângulo de 10 x 3 cm seguindo o sentido das fibras do papel de filtro para café.

·      Faça um risco com a caneta hidrocor preta a um centímetro da base do retângulo.

·      Coloque um pouco de água no pires e encoste a pontinha do papel na água (sem mergulhar
o risco de tinta!). Aguarde alguns minutinhos...

Materiais:
Papel de filtro para café
Tesoura
Caneta hidrocor preta e de outras cores
(de preferência, cores escuras)
Pires

O que aconteceu com a tinta preta?
Você pode repetir a experiência usando outras cores de canetas, ou até misturando cores
diferentes sobre o mesmo risco, use a sua criatividade e divirta-se.



Explicação da experiência:
Se tudo deu certo, você deve ter visto manchas de várias outras cores no papel, em vez de uma mancha preta. Pois é, você realizou um tipo de análise química, acromatografia em papel, que é uma técnica simples para separar as substâncias de uma mistura líquida.
Temos a impressão de que a tinta preta é uma única substância, mas você acabou de verificar que não é! Ela é, na verdade, uma mistura de outras substâncias, aquelas que você viu separadas sobre o papel de filtro. Algumas ficaram na parte de baixo do papel e outras foram arrastadas pela água até a parte de cima, não é? Mas como é que acontece?
É tudo questão de afinidade. Por exemplo, se uma substância gosta mais de água, ela será carregada mais facilmente sobre o papel, mas se a substância não gostar de água, ela vai só um pouquinho.
O mesmo ocorre em relação ao papel. Se a substância gosta muito do papel, vai ficar agarradinha nele e a água não vai conseguir arrastá-la. E, no caso de uma substância que não gosta de papel, a água vai conseguir arrastá-la mais facilmente.
Veja um exemplo interessante, faça a experiência usando tinta guache. Essa tinta é solúvel em água (gosta de água), então ela deveria ser arrastada facilmente pelo papel de filtro, certo?
Mas não é isso o que acontece. Essa tinta gosta tanto do papel que nem sai do lugar, fica grudadinha onde você colocou.
Resumindo, a cromatografia em papel é uma técnica de separação química que separa as substâncias de uma mistura, levando em conta suas afinidades pelo papel e pela água. O papel é chamado de fase estacionária e a água de fase móvel. Podem ser usadas outras substâncias, como o álcool. Se quiser, você pode experimentar! Siga o mesmo procedimento descrito anteriormente e troque a água pelo álcool.
Existem ainda outros tipos de cromatografia, como a gasosa, mais usada que a de papel, por sua versatilidade. Ela usa um gás como fase móvel no lugar de água. E a fase estacionária fica dentro de um tubo muito longo e fino.






VELA QUE APAGA SEM ASSOPRAR

Material:
·      Um prato
·      Recipiente de vidro (pote ou copo)
·      Uma vela
·      Fósforo

Como fazer:

1 – Cole a vela no plástico com a própria cera dela.

2 – Acenda a vela.

3 – Cubra a vela com o pote de vidro e aguarde.

O que acontece?
      A chama irá apagar, pois o fogo precisa de oxigênio para continuar aceso e com o pote fechado o ar não se ronova.




E.I. 11



COR ÀS FLORES BRANCAS

Foco do experimento:
Nutrição das plantas

Princípio abordado:
Capilaridade:

Materiais:

·      1 flor branca pequena
·      Corante alimentício líquido
·      1 copo de vidro ou outro similar com 12 cm
·      Água o suficiente

Execução:

·      Encha o copo com água e pingue três gotas de corantes
·      Mergulhe a haste da flor no copo e espere um dia para ver o resultado
·      Acontecerá uma mudança de cor nas pétalas, que se iniciará na beirada das pétalas e se prolongará por toda a flor.




MÁGICA DA ÁGUA

MATERIAL

ÁGUA COLORIDA COM GUACHE
LUVAS DESCARTÁVEIS
UMA BANDEJA
CAFETEIRA PARA FAZER O VAPOR
FREEZER PARA FAZER O GELO

1º MOMENTO

O QUE FAZER
ENCHER AS LUVAS COM ÁGUA COLORIDA COM GUACHE E COLOCÁ-LAS NO FREEZER. AGUARDAR ATÉ ENDURECER.

O QUE ACONTECE?
A ÁGUA COLORIDA FICA DURA.

2º MOMENTO

O QUE FAZER?
ENCHER OUTRAS LUVAS COM ÁGUA COLORIDA.

O QUE ACONTECE?
NADA. APENAS UMA LUVA CHEIA DE ÁGUA.

3º MOMENTO

O QUE FAZER?
TIRAR AS LUVAS QUE ESTAVAM NO FREEZER E QUE SE TORNARAM SÓLIDAS.

 
COMPARAR COM AS LUVAS QUE ESTAVAM COM A ÁGUA COLORIDA DE GUACHE MAS EM ESTADO LÍQUIDO.

4º MOMENTO

O QUE FAZER?
A ÁGUA ESQUENTA E EVAPORA SE TRANSFORMA EM FUMAÇA E SE MISTURA NO AR.

O QUE APRENDEMOS?

A TRANSFORMAÇÃO DA ÁGUA EM 3 ESTÁGIOS :

·       LÍQUIDO - ÁGUA DOS RIOS, MARES, CACHOEIRAS

·       SÓLIDO - GELO

·       GASOSO - AR




 

O QUE HÁ NESTAS GARRAFAS

MATERIAL

GARRAFAS PLÁSTICAS TRANSPARENTES E COM TAMPAS

1º MOMENTO

COMO FAZER:
APERTAR A GARRAFA COM TAMPA.

O QUE ACONTECE?
A GARRAFA NÃO AMASSA.

2º MOMENTO

O QUE FAZER?
TIRAR A TAMPA E AMASSAR A GARRAFA COM FORÇA.


O QUE ACONTECE?
A GARRAFA FICA TODA AMASSADA.


POR QUE ISTO ACONTECE?
SIMPLESMENTE PORQUE NO INTERIOR DAS GARRAFAS SEMPRE TEM AR, AINDA QUE NÃO POSSAMOS VÊ-LO.
     AO DOBRAR A GARRAFA SEM TAMPA O AR ESCAPA DELAS, PORÉM AO TAMPÁ-LAS O AR NÃO PODE ESCAPAR E POR ISSO NÃO SE ESPREMEM.
        ESTA É UMA FORMA DE COMPROVAR QUE UMA GARRAFA APARENTEMENTE VAZIA, NA REALIDADE ESTÁ CHEIA DE AR QUE NÃO SE PODE VER (PORQUE NÃO TEM COR) E NEM CHEIRAR PORQUE O AR ESTÁ EM ESTADO GASOSO E POR ISSO NÃO TEM ODOR.

















COMO LIMPAR A ÁGUA?

OBJETIVO:
CONHECER PROCESSOS EM USO NO TRATAMENTO (CASO DA FILTRAÇÃO) E NA OBTENÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL

1º MOMENTO:
EM UMA JARRA COM ÁGUA, COLOQUE UM POUCO DE TERRAS E FOLHAS SECAS. ESSA ÁGUA VAI REPRESENTAR A COLETADA DE LAGOS E RIOS – A IDEIA É AGIR DE MODO A “LIMPAR” ESSA ÁGUA.

2º MOMENTO:
PEGUE UMA GARRAFA PET DE 2 LITROS E CORTE-A AO MEIO. NA PARTE DO BICO, COLOQUE UM CHUMAÇO DE ALGODÃO POR DENTRO DA GARRAFA DE MODO A FECHAR O GARGALO.

3º MOMENTO:
COLOQUE, DEPOIS, ALGUMAS PEDRAS PEQUENAS SOBRE O ALGODÃO E CUBRA COM AREIA.

4º MOMENTO:
DESPEJE LENTAMENTE A ÁGUA “SUJA” DENTRO DA GARRAFA, FAZENDO-A PASSAR PELA AREIA. POR FIM, COMPARE A ÁGUA ANTES E DEPOIS DA AÇÃO DO FILTRO.














MATERIAL

● Prato plástico
● Água
● Óleo
● Penas

COMO FAZER:

1 – Coloque água no prato e deixe a pena sobre ele. Reserve.
2 – Coloque água em outro prato e adicione um pouco de óleo. Coloque uma pena sobre o óleo e veja o que acontece.

EXPLICAÇÃO

Esta experiência ilustra as consequências de um derramamento de óleo no oceano. A pena representa os pássaros, que possuem uma proteção à prova d’água em cada uma de suas penas, o que permite que eles possam se aproximar da água sem que afundem. Quando colocamos a pena no óleo, verificamos que ela é imediatamente encharcada, o que nos diz como pode ser fatal para um pássaro caso ele entre em contato com o óleo










MATERIAL

● Pote transparente
● Copo
● Bola de papel
● Água

COMO FAZER:

1 – Encha o pote com água
2 – Coloque a bola de papel no fundo do copo
3 – Mergulhe o copo com a boca voltada para baixo, bem devagar, no pote com água
4 – Observe o que aconteceu com o papel

EXPLICAÇÃO.

Aparentemente, embora o copo só tenha a bola de papel em seu fundo, ele está repleto de ar, tanto que ao ser mergulhado no pote cheio de água, o elemento invisível se fez presente e não deixou a água adentrar totalmente em seu interior, o que impediu que o papel fosse molhado.












MATERIAL

● Água
● Copos
● Vinagre
● Pó de café
● Óleo
● Sal
● Açúcar
●Álcool

MODO DE FAZER

1 – Misture a água com algumas substâncias e veja o que acontece

EXPLICAÇÃO

A água é um solvente natural. A algumas substâncias ela se mistura; a outras, ela não se mistura, como o óleo.